Viajar como os sabores: Jackfruit

Cada vez são mais os que se juntam à alimentação vegana ou vegetariana, tratando de consumir mais frutas e verduras e menos alimentos de procedência animal. Este facto revolucionou a cozinha vegana e vegetariana ocidental nos últimos anos.  

Por essa razão, alimentos de qualquer parte do mundo, que antes eram apenas conhecidos nos seus países de origem, começaram a ser comercializados. Um destes casos é a Jackfruit, que, apesar de ser um alimento tradicional de várias zonas tropicais, era desconhecido do resto do mundo.  

A origem da jackfruit  

Este exótico alimento recebe vários nomes: jaca, Jack, árvore de jaca… E é o fruto nacional do Bangladesh. Portanto, a sua origem é asiática, ainda que não exista consenso sobre se é originário da Indonésia, da Malásia ou do sudeste da Índia.   

No sul da Ásia esta fruta foi popular durante séculos, no entanto, nos últimos anos está a conseguir encontrar um espaço nos mercados europeus e anglo-saxónicos.  

Características da  Jackfruit  

  • A jaca ou jackfruit pode presumir ostentar o título de fruta da maior árvore do mundo. O seu tamanho é o rasgo mais notório desta fruta, mas o seu peso médio aproximado é de entre 30 e 40 quilos. Além disso, pode medir entre 90 centímetros a um metro de comprimento. A sua largura é bastante variável, mas oscila entre os 30 e os 40 centímetros. Mesmo que cultivássemos a jackfruit fresca fora dos países nos quais se produz, é muito provável que o seu tamanho chegue simplesmente ao de um melão grande. O clima marca o tamanho desta fruta.   
  • O seu sabor é indescritível. Muitos dizem que o seu sabor é como se se tivesse combinado uma maçã e uma laranja. Outros indicam que é muito parecido com a manga, tanto em sabor como em aparência. A causa desta mistura de sabores, na América Latina denominam-na como “a fruta com o sabor de todas as frutas”. No entanto, o que mais chama a atenção é que o seu sabor ao cozê-la é totalmente diferente.  
  • A textura fibrosa e a aparência fazem lembrar certos tipos de carne e, por isso, converteram esta fruta num ingrediente muito popular entre os vegetarianos e veganos. Ao levar à frigideira ainda verde, adquire uma enorme semelhança com a carne de porco. Ou seja, converte-se numa alternativa vegetal ao consumo de produtos animais.  
  • Além disso, esta fruta tem a capacidade de absorver muitos sabores, pelo que ao mariná-la com especiarias como, por exemplo, o caril, o seu sabor é potenciado.  

 

Propriedades e benefícios da Jackfruit  

A composição nutricional da Jackfruit é a típica da fruta. Ou seja, maioritariamente é composta por água, açúcares, vitaminas, fibra… Por isso, quando dizemos que podemos utilizar esta fruta como um substituto da carne só podemos falar de um substituto culinário, nunca nutricional.  O consumo deste alimento não é um substituto nutricional das proteínas que necessita o nosso organismo. No caso de ser consumida por veganos e vegetarianos, é necessário ter em conta que ao utilizá-la devemos consumir uma fonte de proteínas dentro de uma alimentação equilibrada.   

Cada parte da planta é útil  

Não apenas a semente e a polpa destas frutas podem ser utilizadas. Por exemplo:  

  • A concha tem um elevado conteúdo de látex que pode ser bem utilizado para produzir borracha.   
  • Em países onde esta fruta é mais comum, a casca da sua árvore é utilizada como corante natural.  
  • As folhas da mesma árvore têm uma função importante, pois demonstraram servir como alimento ideal para alguns animais de quinta.  

Como podemos incorporá-la nos nossos pratos?  

Por sorte, não é assim tão difícil incluí-las no menu como parece. Quando o fruto está verde podemos desfiá-lo e mariná-lo para o preparar guisado. Pode ser utilizado para rechear tacos, hambúrgueres, sandes ou empanadas. 

Nos menus veganos, a sua utilização é ainda mais extensa, uma vez que quase qualquer alimento com carne de porco ou de frango pode ser facilmente imitado com a jaca, igualando ambas em sabor e textura.  

O fruto maduro só se utiliza para sobremesas, bebidas doces e, inclusivamente, gelados.  

 

Apesar de esta fruta ainda não se ter popularizado tanto quanto outras, não há dúvidas de que, pouco a pouco, foi abrindo caminho em cada vez mais países. Atreve-se a experimentar?