alergias alimentarias

Alergias alimentares, o que são e como as tratar

Sabe qual é a diferença entre alergia e intolerância? Os sintomas podem ser semelhantes, mas não as suas consequências e, por isso, é importante conhecer quais são, principalmente as alergias, para as poder tratar devidamente. Explicamos isso no artigo seguinte.

Diferença entre alergia e intolerância

A alergia é uma reação imunológica do nosso organismo perante uma substância que reconhece como estranha. Para a eliminar, cria anticorpos contra a mesma. Por sua vez, a intolerância é uma reação que pode ser isolada ou promovida por fatores externos como medicamentos ou por deficiência de algumas enzimas, necessárias para digerir alguns nutrientes. Nos casos em que ocorrem estas variáveis, o organismo reage com gases, dor intestinal, diarreia ou vómitos.

Os sintomas de uma alergia podem ser semelhantes aos de uma intolerância, caso se trate de uma alergia leve, mas agravam-se quando a alergia ao agente que a causa é mais grave. As pessoas com alergias graves podem chegar a sofrer de ardor na boca, inchaço na zona afetada, urticárias, dores abdominais, problemas respiratórios, tonturas, queda de tensão, etc. E até sintomas muito piores, como anafilaxia. A anafilaxia é uma reação do sistema imunitário. Afeta principalmente o sistema respiratório e cardiovascular, podendo provocar um choque anafilático.

Com base nestes fatores, deve recorrer-se a um médico para diagnosticar se a pessoa que tenha algum destes sintomas, após o consumo de um alimento, tem uma alergia ou uma intolerância, uma vez que a alergia, apesar de num primeiro momento poder provocar sintomas leves, pode desencadear uma sintomatologia muito grave.

Tipos de alergias alimentares

Principais alimentos causadores de alergias:

Proteínas do leite de vaca (ou ALV)

Não deve ser confundida com a intolerância à lactose pois, como já vimos, uma alergia não é a mesma coisa que uma intolerância. Esta alergia é em relação às proteínas do leite, sendo que a caseína é a mais frequente e abundante neste grupo de alimentos.

Proteínas de ovo

Estamos a falar do ovo cozido, frito, mexido, mas não só. Também podemos encontrar ovo nos bolos, pão, pasta, enchidos, rebuçados, gelados, sopas, margarinas, molhos, cereais do pequeno-almoço… é preciso estar atento aos rótulos!

Peixe

Dentro do “peixe” também se inclui o marisco e as pessoas alérgicas ao anisakis, um parasita que vive no peixe. As reações ocorrem após a ingestão e, em casos de alta sensibilidade, incluindo o vapor dos cozinhados, pode desencadear uma reação alérgica.

Leguminosas

No caso das leguminosas, é preciso ter em atenção que, ao serem cozinhadas, potenciam ainda mais os seus efeitos alergénios.

Frutos e vegetais

Normalmente, nestes casos a alergia aos frutos tem uma estreita relação com a alergia ao pólen dessa planta. Há também pessoas que sofrem de intolerância à frutose (o açúcar da fruta), e devem, por isso, eliminar esse grupo de alimentos da sua dieta.

Frutos secos

Além dos frutos secos em si, é necessário ter atenção ao consumo de azeites, manteigas, cremes ou outros alimentos que possam ter sido fabricados ou embalados na mesma fábrica, sendo que pode registar-se a contaminação cruzada.

Cereais

Aqui incluem-se os cereais de todo o tipo: aveia, trigo, milho, centeio, arroz… E derivados ou produtos fabricados com as suas farinhas. Não confundir a doença celíaca com alergia a cereais.

Aditivos

Para evitar as alergias a estas substâncias é necessário ler os rótulos para garantir a ausência do aditivo que desencadeia a reação.

Látex

Apesar de não ser um alimento propriamente dizendo, é necessário incluí-lo na preparação de alimentos, onde se usam luvas de látex que podem contaminar o alimento em questão e causar uma alergia à pessoa.

Tratamento das alergias

O tratamento das alergias é suprimir de forma rigorosa o consumo desses alimentos ou substâncias que possam provocar esta reação, bem como qualquer alimento ou substância suscetível de ter estado em contacto com um destes.

Da mesma forma, para prevenir o consumo destes alimentos, deve ler-se meticulosamente o rótulo dos alimentos a consumir. Caso não tenham a certeza, deve consultar o próprio fabricante para confirmar a ausência desse ingrediente.

Para tratar os sintomas usam-se anti-histamínicos ou corticosteroides. Se os sintomas passam por vómitos ou diarreias, pode ser necessário reidratar a pessoa afetada. No caso de sofrer uma reação grave, é necessário usar adrenalina.

 

Na nossa ampla variedade de produtos pode encontrar a gama de bolachas Sem Glúten. Além de serem sem glúten, a maioria são sem alergénios, como o ovo, os frutos secos ou as proteínas do leite de vaca.

Pode encontrar mais informação na Associação Espanhola de Pessoas com Alergia a Alimentos e ao Látex (AEPNAA).

A nossa recomendação? Ler toda a informação que vem nos rótulos! E se o fabricante facilita essa tarefa especificando que o seu produto não contêm certos ingredientes, melhor!

 

Últimos artículos